7.11.16

Podia dar-me para pior...

Mas por enquanto o que vai dando é isto. Redescobri alguns dos encantos da Arrábida, entre eles a sua incrível beleza subaquática. Desde então, tem sido mergulhar até mais não, convivendo lado a lado com centenas de peixes de todas as cores e feitios. Num universo só nosso.




5.11.16

Olha, o paraíso está logo ali!

Já lá vão uns dias desde que por lá andei, mas ainda hoje faltam palavras para descrever tudo o que senti na minha ultima visita ao Parque Nacional da Peneda - Gerês. Vim de coração cheio e leve, leve.







11.10.16

Guimarães. Aqui nasceu Portugal.

Um encanto, esta cidade. Desde o centro histórico à simpatia das suas gentes.
Lugar a revisitar, um dia destes.








4.10.16

A história da panela e do testo.

"Para cada panela há um testo"

Cresci a ouvir esta velha lenga-lenga que, para conhecimento, faz referência que para cada mulher há um homem ou vice-versa.
Até há pouco tempo, tinha algumas reservas se seria mesmo assim, mas hoje não tenho duvidas que o é.
Basta que um dos artefactos, a panela ou o testo, seja de ouro, e temos amor na certa.

3.10.16

O clã, que afinal são os clãs.

Este tem sido um ano muito duro. O pré e o pós mudança profissional não foi fácil.
Sobre o pré, já aqui escrevi o suficiente. Assunto arrumado, portanto.
Relativamente ao pós, e após a desilusão inicial, aos poucos e poucos tenho feito algumas mudanças e outras espero fazer, para que seja possível levar o barco a bom porto. Ou seja, profissionalmente tenho bem ciente o que é necessário fazer, sinto-me com capacidade para, e portanto creio que tudo seguirá naturalmente.
Pessoalmente, às vezes sinto-me como que figurante de um belo "western". 
De um lado, índios munidos de flechas bem afiadas, do outro cowboys com pistolas até ao pescoço. Desenganem-se meus caros se julgam que há qualquer tipo de "fogo cruzado". Nada disso. O que há muito é uma flecha perdida de vez em quando, um tiro para o ar, mas pancadaria e bofetada como se quer...NADA!!! Ou seja, vive-se em plena paz podre.  
Eu, e apesar das aproximações quer de uns quer de outros, tento manter-me em terreno neutro, não vá a coisa de repente descambar e ainda viro um efeito colateral. 
A ver vamos no que dá, como diria o cego.

A resignação está a apoderar-se de mim. Ou não!?

À falta de melhor, vou alimentando o corpo com o que há.


A minha médica bem que me recomenda a perda de 2 ou 3 quilos, mas nada de extremismos! Consigo lá eu resistir a uma bela dourada na brasa...!?

Queres ver que vou ser tio...???!

É da minha vista velha e cansada, ou a minha gata anda com uma barriga enoooooooorme? 
Tu queres lá ver...!!?

2.10.16

Ser... e fazer alguém feliz.

Já lá vai um mês desde que regressei ao trabalho, mas ainda guardo bem na memória todos os bons momentos que passei em modo férias. Passeei muito, descansei pouco, fui (mesmo muito) feliz e senti que fiz alguém também muito feliz. Ainda não foi desta que fui às Maldivas, é certo,  mas se tudo continuar como tem sido, há-de chegar o dia. 
Por enquanto, outras prioridades há, como por exemplo, o de retribuir em pouco o que me foi dado em muito.





19.8.16

Olha o que me espera...! - Parte II


Acordar e adormecer com esta vista.
Ui.

A minha Lista de blogues